Fiéis de diversas comunidades católicas de Curitiba já estão mobilizados para as celebrações de Corpus Christi, que é comemorado amanhã. Cerca de duas mil pessoas estão envolvidas na confecção dos tradicionais tapetes coloridos, que são montados nas ruas por onde passa a procissão em adoração ao Cristo.

A festa ao Corpo de Cristo teve origem no século 12, quando a Igreja Católica sentiu a necessidade de realçar a presença do filho de Deus no sacramento da Eucaristia e como manifestação pública da fé. De acordo com o coordenador da Pastoral dos Ministros da Comunicação Eucarística da Arquidiocese de Curitiba,

Zildo Costa, a partir das 5h de amanhã fiéis de diversas paróquias, movimentos e pastorais da arquidiocese darão início a montagem do tapete por onde passará a procissão de Corpus Christi, marcada para às 16h30.

Ele comenta que neste ano serão ornamentados 1,7 mil metros, distância que liga a Catedral Basílica, na Praça Tiradentes, até o Palácio Iguaçu, no Centro Cívico.

O tema principal que será abordado nos trabalhos – feitos com materiais como serragem colorida e flores – será a Eucaristia. ?O papa João Paulo II declarou de outubro de 2004 a outubro de 2005 o Ano Eucarístico. Por isso o tema será ressaltado durante as celebrações desse Corpus Christi?, falou Costa.

As celebrações da data iniciam às 15h com uma missa na Catedral, seguida da procissão e bênção do Santíssimo.

Lapa

Uma das mais tradicionais celebrações de Corpus Christi acontece na cidade da Lapa. Todos os anos o feriado atrai um grande número de turistas devido a beleza dos tapetes feitos pelas equipes de pastorais e movimentos cristãs. A coordenadora da liturgia da Paróquia Santo Antônio da Lapa, Elisabeth Prestes Santos, ressalta que neste ano são aguardadas mais de três mil pessoas na cidade para acompanhar a procissão.

Os tapetes começaram a ser confeccionados há vinte dias, com o preparo da matéria-prima, e serão levados para a rua por volta das 23h de hoje. Tudo deve estar pronto para a celebração marcada para às 10h de amanhã. Segundo Elisabeth, o tema principal que será retratado nos trabalhos é o Ano da Eucarística. Ao longo do percurso – que sairá do Santuário de São Benedito, passando pela Alameda David Carneiro, centro histórico, até o Pamtheon dos Heróis – serão montados 26 tapetes e três altares.