Técnicos da Copel estão investigando as causas do desligamento de parte da subestação Cascavel, ocorrido no princípio da noite de quinta-feira, que deixou sem energia por até 20 minutos cidades inteiras da região Oeste do Estado, atingindo cerca de 200 mil unidades consumidoras. A pane aconteceu no setor de 138 mil volts da subestação, de onde partem quatro linhas que transportam eletricidade para as unidades Foz do Iguaçu e Vila Yolanda (ambas na cidade de Foz do Iguaçu), Céu Azul e Medianeira.

Em princípio, os peritos trabalham com a hipótese de que uma forte descarga atmosférica possa ter atingido e desativado temporariamente o centelhador, equipamento de proteção de linhas do barramento de 138 mil volts. Com isso, às 18h23 o fornecimento de energia foi interrompido em cerca de 20 municípios, incluindo parte de Cascavel e toda a cidade de Foz do Iguaçu.

Prontamente, as equipes da área de transmissão da Copel iniciaram os procedimentos de restabelecimento dos serviços: entre 18h34 e 18h43, tudo foi normalizado. No momento em que aconteceu o problema, a demanda por energia na região afetada era da ordem de 150 megawatts: comparativamente, isso equivale à metade da potência de geração de uma das quatro unidades instaladas na Usina de Salto Caxias.

Quase simultaneamente a essa pane, outra linha da Copel na região desligou: a linha de transmissão que liga as subestações da usina Foz do Chopim e Pinheiros, em Cascavel, desarmou às 18h43. A causa provável seria descarga atmosférica num ponto de conexão da linha, que provocou a queda de um dos condutores do circuito. Ainda no final da tarde de ontem, a linha voltou a operar normalmente. Nenhuma unidade consumidora foi afetada diretamente por esta ocorrência.

Vendaval de quarta

Aproximadamente 150 eletricistas e técnicos da Copel e de empreiteiras contratadas estão trabalhando em regime de mutirão para reconstruir as redes elétricas das áreas rurais arrasadas pelo vendaval da madrugada de quarta-feira, em municípios da região Oeste. Cerca de 500 propriedades em Marechal Cândido Rondon, Pato Bragado, Quatro Pontes e Toledo permaneciam sem eletricidade na tarde de ontem em razão dos estragos provocados pelo temporal.

Até o momento, a Copel já contabilizou mais de 200 postes quebrados nas redes elétricas da região, mas o número tende a crescer: à medida que as equipes de emergência da empresa vão conseguindo percorrer as áreas atingidas pelo vendaval, mais estruturas avariadas estão sendo encontradas. É possível que ao final dos trabalhos de recuperação o total de postes substituídos ultrapasse 300.

A persistência do mau tempo na região é um complicador adicional para a recomposição das redes elétricas atingidas, dificultando o acesso dos veículos que transportam postes e outros equipamentos para reposição. A colaboração das prefeituras, cedendo máquinas para desencalhar os veículos de emergência da Copel, tem sido fundamental para permitir o avanço das equipes.

Devastação

Em Cafelândia, onde o vendaval foi particularmente devastador, a Copel mantém outra frente de trabalho com a missão de reconstruir até segunda-feira três das dez torres de sustentação da linha de transmissão Cascavel a Assis Chateaubriand. Com isso, vai ser possível restabelecer o atendimento ao frigorífico de aves da Copacol na tensão original de 138 mil Volts. Emergencialmente, a maior indústria de Cafelândia está sendo atendida por uma linha de distribuição que opera em tensão dez vezes mais baixa, a partir de uma subestação móvel deslocada pela Copel especificamente para esse fim.