Passageiros do transporte coletivo têm até o próximo dia 20 para fazer a conversão dos cartões nos equipamentos instalados desde setembro em todos os terminais de ônibus da cidade. A partir desta data, a conversão somente poderá ser feita na Urbs, Urbanização de Curitiba S/A ou nos postos da empresa nas Regionais da Prefeitura.

Quem não fizer a conversão poderá usar o cartão – desde que tenha crédito – para embarcar nos ônibus e estações-tubo ou passar nas catracas nos terminais, mas não terá como carregar créditos no cartão transporte, uma vez que os antigos carregadores estão saindo de circulação.

A conversão é necessária para adaptação do cartão ao novo sistema de bilhetagem eletrônica que traz uma série de benefícios aos usuários, como a carga automática de créditos no mesmo equipamento que valida a passagem e libera a catraca em estações-tubo, terminais e ônibus na hora do embarque.

O gestor de fiscalização do transporte da Urbs, Edson Berleze, alerta principalmente trabalhadores que recebem vale transporte em créditos no cartão. “É importante que eles façam a conversão o mais rápido possível, para não ter problemas para carregar os créditos no próximo mês”, afirma. Os créditos pagos estarão disponíveis no sistema, mas não poderão ser carregados nos cartões não convertidos.

Ele conta, por exemplo, que há empresas em que menos de um terço dos funcionários converteu o cartão. “Usar os equipamentos ainda disponíveis nos terminais vai evitar filas e contratempos para liberar créditos no mês que vem”, orienta Berleze.

Quem não precisa – Quem fez cartão transporte a partir de 16 de agosto não precisa fazer a conversão. Os novos cartões já estão liberados de acordo com o novo sistema.

Idosos e pessoas com deficiência que têm gratuidade garantida por lei também não precisam fazer a conversão agora. Como eles comparecem à Urbs uma vez por ano a conversão do cartão será feita junto com a revalidação da gratuidade.

No caso de estudantes que recebem o passe escolar (desconto de 50% na tarifa) a conversão poderá ser feita no cadastramento para obtenção do benefício para 2011, que vai começar nas Administrações Regionais em 31 de janeiro.

Como fazer – O processo de conversão é rápido e até o dia 20 de dezembro poderá ser feito a qualquer hora do dia ou da noite, em qualquer terminal. Basta inserir o cartão na máquina conversora e aguardar menos de um minuto até receber a mensagem “Conversão concluída com sucesso”. Em caso de dúvida basta procurar um fiscal do transporte no terminal para receber ajuda.

As máquinas conversoras foram instaladas pela Urbs no início de setembro em todos os terminais para facilitar a vida do usuário. A partir de 20 de dezembro, no entanto, eles terão que procurar um posto da Urbs para fazer a conversão do cartão. “Não há porque não aproveitar a facilidade de resolver o assunto em menos de um minuto em qualquer terminal”, afirma Berleze.

Carga embarcada – Desde 16 de agosto passageiros que utilizam cartão transporte já convertidos podem carregar o cartão em qualquer ônibus, estações tubo e terminais. É que o mesmo equipamento que valida a passagem, liberando a catraca, faz a carga automaticamente, sempre que o usuário tiver créditos liberados no sistema.

Não há alteração na compra de créditos que pode ser feita diretamente no caixa da Urbs, no bloco central na Rodoviária ou pela internet. Na compra pela internet o usuário pode optar por guia de recolhimento do Banco do Brasil, sem pagamento de tarifa bancária; ou por boleto de cobrança pagável em qualquer banco, com acréscimo da taxa bancária atualmente em R$ 1,50.

A chamada carga embarcada tira de circulação cerca de 140 equipamentos de carga de créditos que estavam instalados em praças e terminais e eram alvo de vândalos e depredadores prejudicando os usuários que eram obrigados a procurar outro carregador. Houve casos em que vândalos destruíram peças cuja montagem exigiu dias de conserto para reposição.

Com a carga embarcada estes equipamentos deixaram de ser repostos e saem definitivamente de cena até o fim deste ano.