prefeito Beto Richa participou nesta terça-feira (28) da comemoração aos dois anos do Comunidade Escola, com voluntários, empresários e representantes da sociedade civil parceiros da Prefeitura de Curitiba no programa. O Comunidade Escola transformou as escolas municipais em espaços de convivência para famílias, a partir da oferta de atividades gratuitas nos fins de semana.

O encontro, no restaurante Castello Trevizzo, em Santa Felicidade, reuniu 600 pessoas. Richa disse que a criação do Comunidade Escola foi um dos seus compromissos de governo para a área de Educação, cumprido no primeiro ano da gestão. "Os resultados positivos do Comunidade Escola nos seus dois anos de funcionamento dão muitos motivos para o programa ser festejado", afirmou.

O prefeito agradeceu a contribuição de todos os que oferecem voluntariamente seu tempo e conhecimento para proporcionar atividades de cultura, lazer, esportes e treinamento para geração de renda nas 57 escolas e 12 Faróis do Saber integrados ao Comunidade Escola. "São ações decisivas para o sucesso do programa", disse.

"O que mais me comove é o grande número de voluntários que se propõem a ajudar, não a Prefeitura, mas Curitiba, fazendo a cidade cada vez melhor", afirmou Richa. O prefeito disse que o programa proporciona uma maior convivência das famílias em atividades de lazer ou oficinas, palestras e cursos. "As pessoas se sentem proprietárias do espaço público que é a escola. Passam a cuidar melhor dos prédios públicos, melhora o ambiente familiar e até os índices de violência nas comunidades diminui", afirmou.

A secretária municipal da Educação, Eleonora Bonato Fruet, disse que os dois anos do Comunidade Escola são motivo de alegria e emoção. A secretária também destacou a importância do trabalho de centenas de voluntários, empresários, representantes de igrejas, instituições de ensino, associações de organizações não governamentais no programa. "Contamos com a ação firme de voluntários dedicados à causa de ajudar e dividir o que têm de melhor", afirmou.

Presente em 57 escolas municipais, o programa Comunidade Escola já ultrapassou 1,5 milhão de participações de crianças, jovens e adultos nas atividades esportivas, de lazer, culturais, de educação e de geração de renda. Em setembro, será a vez da Escola Municipal Paranaguá, em Santa Felicidade, iniciar as atividades do programa. Também participam do Comunidade Escola 12 Faróis do Saber, oferecendo à população um acervo de cerca de 7 mil livros em cada unidade e computadores com acesso à internet.

O Núcleo de Educação Alimentar da Coan Alimentação e Serviços, empresa parceira do Comunidade Escola desde 2006, promove nas escolas palestras e oficinas de culinária para adultos, com foco em geração de renda; oficina de culinária para crianças e apresentação peças teatrais falando sobre segurança alimentar, higiene de alimentos e boas escolhas alimentares. "Temos uma boa parceria com a Prefeitura. Unimos esforços com professores, diretores, coordenadores para oferecer este serviço que contribui para a qualidade de vida das comunidades", disse Rosana Caruso, coordenadora do Núcleo.

Desde 2005 como parceira do Comunidade Escola, a Landis Gyr, do ramo de medidores de energia elétrica e instalação de medição, instalada na CIC, capacita pessoal que trabalha diretamente no programa, como professores e coordenadores de área do programa. "Este entrosamento é muito bom. A empresa ajuda a comunidade e cumpre seu projeto de responsabilidade social", disse o empresário Romilson Francisco. A empresa disponibilizou 56 vagas por Regional da Prefeitura e promove dois encontros mensais, com palestras sobre administração, comunicação e relações humanas.

O jantar desta terça-feira contou com a presença do deputado estadual Mauro Moraes, dos vereadores Elias Vidal, Felipe Braga Côrtes, Serginho do Posto, Sérgio Ribeiro, Tico Kusma e Valdenir Dias; da coordenadora do Comunidade Escola, Liliane Casagrande Sabbag; de administradores regionais; diretores e professores das escolas municipais. Os presentes assistiram a um vídeo sobre o programa. Voluntários, empresários e parceiros receberam um certificado de participação assinado pelo prefeito Beto Richa.

Participação –

Há sempre um novo curso, oficina ou palestra motivando as pessoas para visitarem as escolas. A equipe de pessoas envolvidas na organização e desenvolvimento do programa aumenta na mesma velocidade dos participantes.

Somente neste ano, 89 empresas, associações de moradores, federações instituições de ensino e organizações não governamentais se integraram ao Comunidade Escola. Também participam 260 voluntários cadastrados e 265 universitários, que ajudam a desenvolver as atividades do programa.

NÚMEROS DO PROGRAMA

Pesquisa de avaliação feita em junho, com 900 participantes do Comunidade Escola – crianças, jovens adultos, professores, diretores – revelou que o nível de satisfação com o programa chega a 9,2 (numa escala de 0 a 10). A pesquisa, encomendada pela Secretaria da Educação, foi coordenada pelo professor do Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná Flávio de Oliveira Gonçalves, para avaliar as conquistas feitas e envolver ainda mais as comunidades. "Um dado chama a atenção: os estudantes com mais baixo rendimento escolar são freqüentadores assíduos das escolas abertas nos finais de semana", disse o professor.

Confira os resultados da pesquisa:

  • 71% participam das atividades do programa todos os finais de semana;
  • 9% pelo menos três vezes por mês;
  • 89% são moradores da comunidade;
  • 55% das crianças e jovens são alunos matriculados em outras escolas;
  • 98% consideram que os conhecimentos aprendidos nas atividades do Comunidade Escola são úteis no seu dia a dia;
  • mais de 23% conseguiram melhoria em sua renda.

O perfil de quem participa do programa:

  • 77% dos participantes não têm computador;
  • 80% têm menos de 20 livros em casa;
  • 32% das crianças e jovens não têm a presença da figura masculina em casa;
  • a taxa de desemprego entre os adultos é de 23,5%.

O Comunidade Escola foi lançado em maio de 2005. De lá para cá, os números de participantes aumentam a cada fim de semana. Do público que participa das oficinas e atividades do programa, 50% são jovens e 36%, crianças. Para o grupo, as escolas tornaram-se espaços para encontrar amigos, conhecer pessoas e aprender mais.