Listas de material escolar se tornam a dor de cabeça dos pais no começo do ano, pelo número de exigências feitas pelos estabelecimentos de ensino. Mas antecipar estas compras para dezembro pode significar uma economia de 34,5% nos materiais de papelaria, que concentram a maioria dos pedidos das listas. Os custos, dependendo da série escolar, podem variar entre R$ 118 e R$ 540.

Para chegar ao mágico número que pode representar economia de até um terço do total a ser gasto, é preciso fazer uma combinação de duas estratégias. A primeira delas é fazer um levantamento na escola do que os filhos gastaram do material entregue no ano letivo que está encerrando. “Você pode reciclar, reutilizar muitas coisas. Temos vários materiais que duram muito tempo. Régua, tesoura e até tubo de cola ficam inteiros. Isso é reciclar”, explica Emerson Fabris, presidente do Instituto de Educação em Gestão Familiar.

Fazer este levantamento é o passo principal para se ter uma boa economia. Depois de ter em mãos a lista real do que será necessário para o filho, os pais teriam de antecipar suas compras para até, no máximo, 31 de dezembro. No primeiro dia do novo ano, as papelarias fazem o primeiro repasse nos preços, que dependendo da demanda e novos pedidos de remessa, significa nova elevação.

“O fornecedor de papel faz a reposição da inflação no dia 1.º de janeiro e o aumento fica entre 4% e 4,5% e isso recai principalmente sobre cadernos, papel A4. E a indústria do plástico também faz reposição de inflação. Os preços sempre tem aumento no começo do ano”, explica João Alécio Mem, assessor do grupo Livrarias Curitiba.

Diferença nos preços chega a 750%

A antecipação das compras traz outros benefícios ao consumidor, que terá muito mais tempo para pesquisar melhor os preços e não cair na tentação de adquirir todo material num mesmo local, pagando até 300% a mais por um determinado produto. Outro risco é se deparar com a quantidade de variedades de produtos com personagens da moda que ainda estão por chegar ao mercado. Uma borracha estilizada pode custar até 750% a mais que uma borracha branca simples, que pode ser colocada na ponta do lápis.

“Poderemos ter até 300% de diferença entre locais e produtos, como uma borracha em determinada livraria vendida a R$ 0,90 e em outra a R$ 3,50. E, dependendo do tipo, marca e personagem fica mais caro ainda. Isso é o que mais pesa em um produto”, destaca Emerson