A partir de hoje um grupo de pessoas irá iniciar em Curitiba uma campanha para incentivar a população a não consumir produtos importados dos EUA, Inglaterra e Israel. O boicote tem o objetivo de colaborar com a luta a favor da paz mundial, bem como não favorecer o financiamento de uma possível guerra entre os EUA e Iraque.

A idéia, segundo explica o escritor e um dos colaboradores do comitê, José Gil de Almeida, segue as mesmas estratégias adotadas por outros países. “O Congresso americano, por exemplo, está boicotando a batata francesa”, disse. Ele acredita que se as exportações desses países diminuírem, refletindo na economia, os governantes poderão ponderar sobre a necessidade da guerra.

A campanha “Não Financie a Guerra” será divulgada por meio de material publicitário, como adesivos, cartazes, camisetas e folhetos informativos. Um site na internet (www.libertarios.com.br) também vai fornecer aos interessados listas com produtos importados e os nacionais para a substituição. Diretores do comitê irão desenvolver atividades específicas para informar a população. “O diretor de informática vai incentivar as pessoas a substituir os programas da Microsoft por Linux. Já a diretoria feminina vai orientar às donas-de-casa, na hora das compras, a trocar os produtos importados por nacionais”, explicou Gil. Além disso, o comitê pretende fazer palestras em escolas explicando essas estratégias, incentivando com isso o consumo dos produtos fabricados no Brasil.

O comitê conta hoje com 26 pessoas, entre professores, comerciantes, estudantes e funcionários públicos. De acordo com José Gil de Almeida, a iniciativa vem recebendo apoio de diversas entidades, e ele acredita que campanhas semelhantes serão desenvolvidas em outras cidades. “Essa é uma maneira mais concreta que encontramos para demonstrar a nossa indignação contra a guerra, e com certeza, deverá ser seguida por outras entidades”, finalizou.