Funcionários da empresa Cavo Saneamento Urbano, que realiza a coleta de lixo em Curitiba, podem entrar em greve a partir da próxima segunda-feira. De acordo com o Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação (Siemaco), o indicativo de paralisação foi aprovado durante assembleia realizada na última segunda-feira, quando a categoria recusou a contra-proposta da empresa para o reajuste dos salários e dos benefícios concedidos aos coletores.

Caso a greve realmente aconteça, poderão ser afetados os serviços de varrição e roçada realizados na capital. Os funcionários reivindicam um reajuste de 15% nos vencimentos, além de um aumento também de 15% nos tíquetes alimentação e refeição.

A contra-proposta rejeitada previa o reajuste de 6% – pouco acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que fechou com alta de 4,7% em março, data-base da categoria. “Estamos em estado de greve até sexta-feira. Até lá esperamos que a empresa melhore a proposta”, afirma o presidente da Siemaco, João Gerônimo Filho.

O diretor comercial da Cavo, João Carlos David, acredita que o impasse deve ser resolvido sem a necessidade de greve. “Tenho certeza de que vamos chegar a um acordo como sempre, com um reajuste justo dos salários e dos benefícios”, afirma.