O governo do Estado, por meio da Cohapar, e o governo federal, pela Caixa Econômica Federal, inauguraram nesta quinta-feira (29) a última etapa do Residencial Santa Clara, em Ponta Grossa.

Esta fase recebeu investimentos de R$ 5,3 milhões e atenderá 158 famílias. As casas possuem padrões diferenciados (40, 42, 52 e 63 metros quadrados) e foram construídas na modalidade hipoteca.

O Residencial Santa Clara possui 370 unidades. A primeira etapa, com 212 moradias, foi entregue em dezembro de 2011. O investimento total no conjunto é de R$ 12 milhões.

O presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Mounir Chaowiche, reforçou a meta do governo do Estado de atender 100 mil famílias em quatro anos, por meio do programa Morar Bem Paraná.

“O governador Beto Richa colocou como meta terminar prioritariamente as obras que estavam estagnadas. Aqui em Ponta Grossa trabalhamos para que as famílias tivessem moradia digna o mais rápido possível”, afirmou.

O superintendente nacional da Caixa Econômica Federal, Fábio Carnelós, reforçou o trabalho em conjunto na área da habitação de interesse social. “É importante que haja trabalho em parceria entre governo federal, governo do Estado e prefeitura. Garantir moradia digna é contribuir para uma sociedade mais justa”, disse.

“A qualidade das casas é ótima, o acabamento impecável. A população do município está tendo a possibilidade de morar com segurança e isso só é possível porque há essa união entre os três governos”, disse o prefeito de Ponta Grossa, Pedro Wosgrau Filho.

Esperança – Divorciada e mãe de dois filhos, a costureira Ivete Dacoreggio está ansiosa com a mudança para a casa própria. Ela conta que quando se separou,ficou muito difícil sustentar a família sozinha e ainda pagar R$ 450,00 de aluguel por mês.

“Posso dizer que estou dando um novo passo na minha vida. Mudar com meus filhos para um lugar bom, uma casa boa, não tem preço”, afirmou. O pequeno Eduardo Dacoreggio, de apenas três anos, planeja seu quarto. “Eu estou muito feliz, porque agora vou ter minha casa, meu quarto”, disse.

Vida nova também para o casal Larisse e Alexandre de Paula. Eles são pais de Alessandra de Paula, de quatro anos. Há cinco anos, foram despejados da casa onde moravam de aluguel e passaram a viver nos fundos da casa da mãe de Larisse, que tem apenas dois cômodos e não possui banheiro. “Banho era no balde e, além disso, quando chovia, molhava tudo. Perdemos muitos móveis e pertences pessoais”, disse Larisse.

“O melhor de mudar será poder ter um canto só nosso, tomar banho quente dentro de casa e não ter mais medo de comprar nossas coisas com o maior sacrifício e perder com as tempestades”, completou a dona de casa.