Irati – Passou esta semana por Irati, entre os dias 30 e 31, o ciclista natural da cidade de Canoas (RS), Luiz Carlos Rodrigues, 48, que já concretizou um projeto pessoal de percorrer, com sua bicicleta, o trajeto do Oiapoque, no Amapá, ao Chuí, na região da fronteira gaúcha com o Uruguai, retornando à sua cidade. Um total de 15.000 km de pedaladas.

O início da aventura começou no dia 28 de outubro de 2001 na própria Canoas, e foi concluída em 12 de abril deste ano, onde no Chuí, Rodrigues recebeu o certificado emitido pela prefeitura daquele município, documentando a longa viagem efetuada. Ainda não satisfeito com a quilometragem percorrida, o ciclista voltou recentemente à estrada, agora com o propósito de chegar à Bolívia, elevando a marca para os 19.000 km sobre duas rodas. Pelas suas contas, na passagem por Irati, onde foi recebido pelo prefeito Toti Colaço, a soma já chega aos 17.227 Km percorridos.

Sonho vai virar livro

Segundo o idealizador da viagem, sua maratona que agora se avoluma – atende um sonho antigo de continuar conhecendo outras regiões da América do Sul. Em sua modesta bagagem, estão fotos de suas passagens pela Guiana Francesa, Suriname, Guiana Inglesa, Paraguai, Uruguai e Argentina, entre outros. Percorrer longos trajetos pedalando, após sua empreitada até a Bolívia, vai virar um livro-documentário através do escritor de Guaraí (RS), Alamir Longo, já garantido por uma editora de renome que Rodrigues prefere não divulgar. Até agora a viagem tem sido possível com colaborações e patrocínio de empresas ao longo do trajeto,como se vê no amontoado de adesivos em sua bagagem. A bicicleta é comum e chega a 60 kg com equipamentos

Não há previsão de data para a chegada de Luiz Rodrigues à Bolívia, nem sinal de pressa do ciclista que, após pausa de um dia em Irati, prossegue com seu veículo rumo ao destino estipulado. Na bicicleta, um modelo comum e desprovido de qualquer recurso profissional, o proprietário adaptou, além de retrovisores, luzes de alerta, pisca-pisca, farol, buzina e pequena bateria que alimenta o conjunto. Com a parafernália, tudo chega a pesar cerca de 60 kg, mais o condutor. Há ainda um rádio AM/FM, claro. Ninguém é de ferro.

Carlos almeja o Guinness Book

Londrina

– Carlos Henrique Ribeiro, que tenta superar recorde mundial de quilometragem sobre duas rodas, está em Londrina; atual campanha deve durar um ano. Ele começou a pedalar aos 38 anos para “fugir” de problemas pessoais e hoje pleiteia uma vaga no Guinness Book como ciclista a percorrer maior quilometragem em todo o mundo. Em sua atual campanha, o ciclista Carlos Henrique Ribeiro, de 40 anos, pretende pedalar por 15 estados brasileiros, de norte a sul do País, contabilizando 12.000 km rodados. Nessa aventura, que começou no dia 16 de agosto em sua cidade natal, Jardim (Mato Grosso do Sul), Ribeiro já passou por várias cidades do Mato Grosso do Sul e Paraná. Nesta quarta-feira (dia 1.º de setembro), o ciclista esteve em Londrina onde permaneceu até à noite.

Segundo Ribeiro, a vontade de pedalar surgiu ao acaso, já que ele, que trabalhava como pedreiro no Mato Grosso do Sul, nunca havia pensado em ser esportista. “A vida estava difícil então resolvi sair para pedalar. Construí minha própria bicicleta e hoje já sou recordista brasileiro em quilômetros rodados”, disse. Em sua primeira campanha, há cerca de três anos, Ribeiro percorreu 1.300 km, distância superada o ano passado, quando pedalou cerca de 16.000 km em jornada que durou um ano. Na ocasião, o esportista passou por cerca de 200 cidades, de dez estados brasileiros das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Porém, o objetivo da campanha não era apenas superar seus limites, mas também conscientizar motoristas quanto à importância de dirigir prudentemente nas estradas. “Era uma campanha contra a violência nas estradas, principalmente sobre os riscos da ingestão de bebidas alcoólicas antes de dirigir.”

Durante a atividade, Ribeiro entregava panfletos e conversava com motoristas. Esta terceira campanha, segundo o ciclista, tem o objetivo principal de entrar para o Guinness Book, o Livro dos Recordes, como primeiro esportista a percorrer, oficialmente, 28.000 km sobre duas rodas. Para tanto, em cada cidade que visita, Ribeiro registra a passagem por meio da imprensa local e de órgãos públicos. “Esse registro é necessário para que no final do percurso, eu possa mandar os dados ao representante do livro dos recordes no Brasil.” Depois do Paraná, o ciclista deve passar por cidades dos Estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão, Pará e Amapá, em percurso que deve durar um ano. A previsão de chegada é agosto de 2005, na cidade onde Ribeiro iniciou a atual campanha. Quando perguntado sobre seus projetos para o futuro, Ribeiro não poupa disposição: “Minha próxima meta é percorrer todos os países do Mercosul”, disse.