São Brás, protetor da garganta.

Católicos do mundo inteiro comemoraram ontem o dia de São Brás, considerado o santo protetor da garganta. Em Curitiba, na Paróquia São Brás, localizada no bairro de mesmo nome, muitas pessoas compareceram para rezar e pedir bênçãos.

“Recebemos pessoas da capital e também da Região Metropolitana. Elas vêm para pedir que São Brás interceda por elas junto a Deus, ou para agradecer por graças recebidas”, contou o padre responsável pela paróquia, Ivanir Leonardi.

No local, foram realizadas três missas em homenagem ao santo. A das 15h foi uma missa especial a pessoas enfermas. Durante todo o dia, foi realizada a bênção da garganta, onde o padre faz uma oração especial, que imita a atitude de São Brás quando tirou uma espinha de peixe da garganta de uma criança, cruzando duas velas. “Todos os anos recebemos pessoas que contam casos de crianças ou mesmo de adultos que se afogaram com espinha de peixe, objetos ou mesmo alimentos e, após pedirem ajuda a São Brás, conseguiram expirar o que haviam engolido e voltar a respirar normalmente”, disse o padre Ivanir. “As pessoas também trazem as coisas engolidas pelas crianças, como tampinhas de garrafa, de caneta, moedas e outros objetos.”

São Brás nasceu na Armênia, no século II. Na época da perseguição aos cristãos, foi ordenado bispo em Sebaste, na Armênia. Depois, por não invocar o deus pagão, recebeu uma mensagem divina para que se escondesse nas colinas. Durante o exílio, se abrigou em uma caverna e cuidou de animais selvagens. Anos mais tarde, foi descoberto por caçadores que o levaram perante o governador. São Brás foi decapitado.