A Arena da Baixada, palco de disputas e do mar rubro-negro, deu lugar ao branco, véus e grinaldas, no casamento coletivo de 800 casais, na tarde de ontem. Noivos hetero e homossexuais assinaram sua união civil e receberam a bênção ecumênica diante de milhares de convidados.

Primeiro evento social promovido no estádio do Atlético desde a reforma para a Copa do Mundo, o casamento era destinado a casais com renda de até dois salários mínimos e foi organizado pelo projeto Justiça no Bairro, do Sesc Paraná, em parceria com a Prefeitura de Curitiba e o Tribunal de Justiça (TJ). Outros nove municípios da região metropolitana foram atendidos pela ação: Almirante Tamandaré, Araucária, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Colombo, Fazenda Rio Grande, Pinhais, Piraquara e São José dos Pinhais.

A cerimônia teve a participação da Camerata Antiqua de Curitiba, regida pelo maestro André, e do Coral do Ministério Público e dos Músicos do Projeto Crescer, projeto social que atende crianças de Arapongas em situação de vulnerabilidade.

Juntos há onze anos e “atleticanos de coração”, Elizandro Veiga, 32 anos, e Cristina de Carvalho Veiga, 29, vestiam rubro negro dos pés à cabeça, com direito ao escudo do atlético na cauda do véu. “É um sonho que se realiza, estamos casando em nossa segunda casa”.

Já Ana Lindacir de Oliveira, aproveitou o dia de seu aniversário de 66 anos para oficializar a união de um ano e três meses com Henrique Franco, da mesma idade. “É muita alegria, assim que soubemos da oportunidade fizemos questão de casar oficialmente e seguir a tradição”, sorria o noivo.

Iguais

A união de casais homossexuais como Helen Czezacki, 31 anos, e Renata Daher, 27, que puderam se casar após 11 anos juntas, foi a resposta à grande polêmica causada no Executivo municipal pela permissão da união homoafetiva. “Oficializamos o nosso direito, o Sesc nos deu a oportunidade de igualdade, espero que faça as pessoas refletirem”, disse Helen. Amerson e Washigton Carvalho eram só sorrisos e dizem ter sido tratados com atenção e igualdade desde a inscrição. “O sentimento é de ansiedade, alegria e principalmente liberdade”, declarou Washington.