Nomes de mais de 500 pessoas mortas foram utilizados para aquisição do Cartão Comida Boa, um auxílio de R$ 50 fornecido pelo governo do Paraná para compra de alimentos da cesta básica. Criado no contexto da pandemia do novo coronavírus, o cartão é destinado a famílias inscritas no Cadastro Único do sistema de assistência social e a autônomos, microempresários e trabalhadores informais que tiveram a renda afetada.

LEIA MAIS – Justiça diz não a pedido de lockdown no Paraná feito pelo Ministério Público

O problema foi encontrado pela Controladoria-Geral do Estado (CGE) a partir do cruzamento de bancos de dados do governo federal com o dos beneficiários do programa paranaense.

LEIA TAMBÉM – Disputa para prefeitura de Curitiba reúne ao menos 20 candidatos. Saiba quem são

De acordo com a CGE, tais pagamentos foram suspensos antes da terceira remessa de R$ 50, realizada na semana passada. O controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, explicou que os indícios descobertos não implicam necessariamente cometimento de crime e as situações identificadas serão apuradas pelos órgãos de segurança pública.

“Sugerimos suspender o pagamento àquelas pessoas, para que elas possam explicar o que aconteceu”, afirmou Siqueira. O cidadão que eventualmente teve o benefício suspenso por equívoco deve procurar os Centros de Referência de Assistência Social (Cras) ou o local em que recebeu o cartão para informações quanto à regularização do CPF nos cadastros.