A presidente do Provopar Ação Social, Lucia Arruda, anunciou neste domingo (12) os números finais da Campanha do Agasalho de 2008, que foi aberta oficialmente no dia 27 de abril com um show musical no Guairinha, com a participação da atriz global Letícia Sabatella e a presença do governador Roberto Requião. Pela terceira vez, a atriz foi a musa da campanha e fez questão que seu “cachê” fosse revertido na compra de agasalhos.

Segundo Lucia Arruda, a campanha deste ano arrecadou um total de 107 toneladas de agasalhos. Foram atendidas 390 instituições de 205 municípios, a maioria de pequeno porte e baixo IDH – Índice de Desenvolvimento Humano. Entretanto, o que mais chamou atenção foi a generosidade das pessoas, que doaram mais de 84,6 mil peças de roupas novas. No ano passado, foram doadas apenas 1,7 mil peças novas.

 

Destaque também para o número de cobertores: 42,3 mil, contra 6,7 mil do ano passado. A arrecadação poderia ter sido melhor, caso as escolas públicas estaduais repetissem o desempenho de 2007, quando juntas arrecadaram mais de 95,4 toneladas. Este ano, elas arrecadaram 53,6 toneladas.

 

O Núcleo Regional de Educação de Apucarana, com quase 15 toneladas, foi o campeão de arrecadação, seguido dos núcleos de Londrina (11,2 toneladas), Foz do Iguaçu (5,2), Pato Branco (4,5), Maringá (3,8), Campo Mourão (3,6), Cornélio Procópio (3), Paranavaí (2,3), Ibaiti (2,1), Wenceslau Braz (1,7) e Loanda (1 tonelada).

Lucia Arruda fez questão de destacar que “o que foi arrecadado pelas escolas estaduais ficou no próprio município, para atender as instituições escolhidas pelos alunos, professores e servidores”. Quanto aos núcleos que atingiram a meta estabelecida pelo Provopar, Lucia Arruda revelou que eles são contemplados com aparelhos de DVD.

A Campanha do Agasalho 2008 contou com um total de 980 postos de arrecadação em Curitiba e Região Metropolitana e envolveu 11 núcleos de educação e 30 voluntários. “A maior novidade foi o fato das roupas arrecadadas serem lavadas, reformadas e até “customizadas” por um grupo de voluntárias. Portanto, ninguém recebeu roupas sujas ou rasgadas. Este foi o diferencial da campanha deste ano”, destacou Iva Sandra de Morais, coordenadora de Assistência Social do Provopar.