Lucimar do Carmo / O Estado do Paraná
Acidente aconteceu no quilômetro 26 da BR-277.

O caminhão placa AFE-3550, carregado com 27 mil litros de óleo vegetal, tombou ontem no quilômetro 26 da BR-277, na pista de descida de Curitiba para o litoral do Estado. O acidente aconteceu por volta das 5h15 da manhã. Cerca de dez mil litros do óleo carregado, pertencente à empresa Encopa, do município de Araucária, vazaram e atingiram o Rio Sagrado 2, localizado nas proximidades do município de Morretes. O caminhão da Transportadora JJM, de Curitiba, estava levando o óleo para a empresa Cataline, em Paranaguá.

O Sagrado 2 desemboca no Rio das Neves, cujas águas atingem a Baía de Antonina. Para evitar que o produto atingisse o mar, técnicos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), em parceria com agentes do Corpo de Bombeiros e funcionários da Ecovia, instalaram cinco barreiras de contenção ao longo do Sagrado 2 e do Rio das Neves. Biólogos do IAP também ficaram de plantão no local do acidente para avaliar os possíveis prejuízos causados no solo e na vegetação pelo derrame do óleo.

De acordo com o IAP, os técnicos que percorreram o rio de barco até o final da tarde de ontem constataram que o óleo derramado na água só poderá ser retirado através de sucção. Para evitar danos ao meio ambiente, a empresa responsável pelo caminhão terá que pedir à Petrobras um barco de sucção, para que o óleo que ficou no fundo do rio seja retirado o mais rápido possível.

Segundo o técnico fundiário do IAP, Jamil Santos Costa, que coordenava parte dos trabalhos no local do acidente, o óleo vegetal não é tóxico. Porém, dependendo da quantidade, pode prejudicar a oxigenação na água, matando peixes, além de contaminar o solo e a vegetação presente nas margens dos rios. “Estamos fazendo de tudo para conter o vazamento, mas o produto não representa grandes riscos ambientais”, afirmou.

Transbordo

Os técnicos em atividade na BR-277 aguardaram um caminhão para fazer o transbordo de 10 mil litros do óleo que permaneceram na carroceria do veículo acidentado, que teve perda total. Segundo o IAP, a carroceria do caminhão se encontrava parcialmente afundada no rio. O acidente não resultou em grandes problemas ao tráfego na rodovia, pois meia pista permaneceu liberada e o movimento de veículos estava normal.

Motorista

O motorista do caminhão, Alaor Vasconcelos, de 70 anos, foi levado para o Hospital Cajuru, em Curitiba, e permaneceu em observação durante toda a manhã. No momento do acidente, ele estava acompanhado do filho Marco Antônio Gomes Vasconcelos, de 20 anos, que teve apenas ferimentos leves e não precisou ser hospitalizado. “Meu pai passou por um desnível na pista e perdeu o controle do caminhão, não conseguindo evitar que ele tombasse”, contou.

Acidentes este ano

06/03 – Um caminhão-tanque da TIC Transportadora Ltda., causa danos ambientais por derramar combustível na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), entre as ruas João Chede e Cyro Correia Pereira. Dez mil litros de óleo diesel e 10 mil de gasolina contaminam um córrego da região, afluente do Rio Barigui. A empresa foi multada em R$ 33 mil.

05/05 – Um caminhão tomba no quilômetro 33 da BR-116, sentido Curitiba-São Paulo, com 20 mil litros de amônia, substância química altamente tóxica. Não houve registros de contaminação.

20/05 – O caminhão da empresa TRR Gricopel, de Joinville (SC), com 25 mil litros de óleo diesel tomba no quilômetro 669 da BR-376, paralisando o trânsito. Não ocorreu danos ambientais.

21/05 – Um caminhão carregado com dióxido de carbono (gás para fabricação de refrigerantes) tomba na BR-376, sentido Paraná-Santa Catarina, novamente no quilômetro 669. O trânsito da rodovia ficou interditado. Não houve contaminação.

27/05 – Caminhão da transportadora JJM tomba no quilômetro 26 da BR-277. O veículo transportava óleo vegetal, que vazou no Rio Sagrado 2, na região de Morretes.