Cerca de cinqüenta homens e mulheres com mais de 50 anos se reuniram, ontem de manhã, na Praça Elias Bittar, no bairro da Água Verde, em Curitiba, para participar de uma caminhada promovida pelo Senac. Da praça, eles percorreram 2,5 km até o Senac do Portão. Lá, participaram de um café da manhã.

Durante o trajeto, os participantes foram acompanhados por uma ambulância, equipe médica e professores de educação física. “Neste mês, o Senac está realizando uma série de atividades voltadas à preservação da saúde”, disse a coordenadora do programa Maturidade e Qualidade de Vida do Senac, Francis Okamura. “Esta é a primeira caminhada que realizamos com o pessoal da terceira idade. Pretendemos repeti-la nos próximos meses.”

Segundo Francis, a prática constante de exercícios físicos contribui para que os idosos se sintam mais dispostos, adquiram maior auto-estima e saúde. “Quem se encontra na maturidade deve ter consciência da importância de se manter ativo”, ensina. “Caminhadas diárias podem contribuir com a saúde física, mental e social do idoso.”

Participantes

Entre os participantes da caminhada, a maratonista profissional Marisa da Silva Cruz, de 59 anos, se destacava. Ela, que em 1995, nos EUA, em 1999, na Inglaterra, e em 2001, na Autrália, recebeu a medalha de bronze no Campeonato Mundial de Atletismo Master, incentivava os menos dispostos. “Praticar uma atividade física faz bem para as pessoas de todas as idades”, recomenta. “Ao contrário de outras pessoas da minha idade, não tenho problemas de esquecimento ou de relacionamento social.”

A aposentada Gladi Rosa Soliere Santos, 66, faz caminhadas diárias. Diz que o exercício lhe confere maior disposição e lhe ajuda a fazer novos amigos. “Depois que comecei a caminhar, também me vi aliviada de um problema na coluna”, revela.

Já o aposentado Israel Jaime Reiss, 67, elogia a iniciativa. “Fico feliz em ver empresas e instituições promovendo atividades voltadas à terceira idade”, diz. “Isso mostra que os idosos estão sendo valorizados. Os eventos acabam promovendo a conscientização dos idosos sobre determinados assuntos.” (Cintia Végas)