O Botox (toxina butolínica tipo A) não é utilizado apenas para tratamentos estéticos em pessoas que querem minimizar a aparência de rugas que surgem com o avançar da idade. O produto também tem indicação terapêutica, sendo bastante benéfico a pessoas portadoras de paralisia cerebral.

O assunto foi discutido ontem, em Curitiba, por profissionais de saúde e estudantes do Instituto de Ensino Superior Pequeno Príncipe. No hospital infantil Pequeno Príncipe, 35 crianças vítimas de paralisia foram atendidas em um mutirão realizado para aplicação da toxina.

Segundo o chefe do setor de ortopedia do hospital, Luiz Antônio Munhoz da Rocha, a utilização de Botox com finalidade terapêutica é feita 1997. Em 2000, no Paraná, o uso do produto em pacientes com paralisia começou a ser feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O Botox é proveniente de uma bactéria. Luiz explica que o produto é capaz de realizar o bloqueio químico de uma substância produzida pelo organismo que provoca contração muscular. Aplicado através de injeções, o Botox pode ser utilizado em músculos das pernas, pés, braços, coluna, entre outros.