Uma ação cautelar movida na tarde desta sexta-feira (7) pelo Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR) determina que os bancos tomem precauções em relação à Influenza A. Caso descumpram as determinações, terão que arcar com multa diária de R$ 1 mil por agência.

De acordo com a procuradora do trabalho Margaret Matos de Carvalho, que propôs a ação cautelar, o objetivo é que esses estabelecimentos tomem medidas para conter o avanço do surto de contaminações do vírus H1N1 entre os empregados.

A Justiça do Trabalho determinou, a pedido do MPT, que os bancos de Curitiba e Região Metropolitana adotem as seguintes medidas: monitorar o fluxo de pessoas no interior das agências; facilitar o atendimento médico às empregadas gestantes e empregados que apresentem sintomas de gripe; disponibilizar álcool em gel 70% (ou líquido 70%) em quantidade adequada para higienização das mãos dos empregados, terceirizados e clientes e, também, do ambiente de trabalho; disponibilizar lenços descartáveis de papel e máscaras cirúrgicas aos bancários e terceirizados.

Na última terça-feira (4), uma reunião entre o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região e representantes da Secretaria Estadual de Saúde, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal já havia solicitado providências que evitem a proliferação da gripe A dentro das agências.