O oitavo atraso salarial dos 63 funcionários do Centro Hospitalar de Reabilitação (CHR) Ana Carolina Xavier foi marcado por duas mobilizações, com trabalhadores usando nariz de palhaço e faixas. O objetivo de psicólogos, fisioterapeutas e demais categorias que estão sob a gestão da Associação Paranaense de Reabilitação (APR) foi sensibilizar a sociedade para os problemas dos atrasos constantes, desde 2012, ocasionados pelo que eles acusam de “terceirização da gestão da saúde”.

Segundo a vice-presidente do Sindicato dos Psicólogos no Paraná (SindyPsi), Renata Moraes, desde a última sexta-feira os trabalhadores aguardam pela remuneração. “Na semana passada culminou a falta de pagamento com o problema de ventilação do local, o que reforça a desvalorização dos trabalhadores daqui. Uma demonstração desse desgaste é que o hospital está sendo subutilizado. O segundo andar, que seria para internamento, está praticamente vazio”, comenta. Isso porque não estão sendo feitas cirurgias por falta de médicos. Os profissionais que trabalhavam no local eram contratados por meio de uma cooperativa, mas perderam o interesse devido aos atrasos nos pagamentos.

Segundo os trabalhadores, cada atraso leva de dois a oito dias para ser corrigido. Quanto à falha no sistema de refrigeração, eles estão esperando pelo conserto que, segundo a administração do hospital, está sendo providenciado.

Na avaliação do SindyPsi e demais representantes de profissionais da saúde, os atrasos são decorrentes desse regime. “Mesmo antes dessa crise nos pagamentos do governo estadual, os atrasos nos repasses para ONGs como a APR já geravam problemas no pagamento dos profissionais. Um empurra a responsabilidade para o outro e tanto o trabalhador quanto os pacientes não sabem a quem se reportar”, diz Renata.

A assessoria da Secretaria da Saúde informou que o repasse dos valores referentes à folha de pagamentos dos 63 profissionais da CHR foi efetuado ontem de manhã e que em dois dias úteis deve estar na conta dos funcionários.