Foto: Prefeitura de Guarapuava

Guarapuava, com 164 mil habitantes, é a maior do estudo.

Segundo a contagem feita em 2007 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população paranaenses que vive nas áreas urbanas é de 4.710.608 pessoas e a que vive nas áreas rurais é de 1.551.677. O estudo, porém, deixou de fora as oito cidades que possuem mais de 170 mil habitantes. A população paranaense atualmente é de 10.284.503, dos quais 6.262.285 vivem nas cidades onde a população foi contada. As demais, 4.022.218, vivem nos municípios que não foram levados em conta pelo estudo: Cascavel, Colombo, Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina, Maringá, Ponta Grossa e São José dos Pinhais.

 A pesquisa – disponibilizada ontem no site do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) -mostra que a maioria das pessoas que vive nos 391 municípios estudados estão nas zonas urbanas. São 4.710.608 contra 1.551.677 das áreas rurais. Em apenas 86 municípios, os moradores do campo se sobressaem aos da área urbana. Grande parte dessas localidades são pequenas e ficam no interior do Estado. A que mais foge desse perfil é Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, onde a população é de 82.006 habitantes, divididos em 37.579 na área urbanas e 44.427 na zona rural.

Outro dado revelado pelo IBGE é que, nas áreas urbanas, a maioria da população é composta por mulheres: são 2.392.683 contra 2.298.871 homens. No entanto, a situação se inverte no campo. São 808.385 homens contra 729.684 mulheres.

Ainda segundo o instituto, essas cidades possuem 1.609.239 habitantes com idade entre 0 e 14 anos, mais 574.756 jovens com idade entre 15 e 19 anos, além de 3.385.439 pessoas com idade entre 20 e 59 anos. A população de idosos, pessoas com mais de 60 anos, está 660.189 pessoas.

Os dados estão disponíveis no site do Ipardes, no endereço www.ipardes.gov.br. O levantamento apresenta resultados da população residente em 1.´ de abril de 2007, encaminhados ao Tribunal de Contas da União em 14 de novembro do mesmo ano. Será com base nessas informações que o governo fará a distribuição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). A distribuição para os municípios com mais de 170 mil habitantes será feita com base em estimativas.