As estatísticas existentes sobre casos de abuso infantil (incluindo violência física, sexual e psicológica) não retratam a realidade. Em todo mundo, inclusive no Brasil, estima-se que apenas 10% dos crimes cometidos contra a criança e adolescentes sejam denunciados, chegando ao conhecimento das autoridades policiais.

A informação é do procurador da república Guilherme Schelb, que esteve ontem em Curitiba para participar de um ciclo de palestras sobre abuso infantil promovido pela Patrulha Escolar Comunitária, no Centro de Convenções. O público-alvo foram profissionais das áreas de segurança pública e educação.

Segundo Schelb, no Brasil a situação é considerada grave. Centenas de crianças e adolescentes são vítimas de abusos diários sem que se tenha conhecimento dos fatos. Na maioria das vezes, a violência é cometida dentro da própria casa das vítimas, por pessoas consideradas próximas. ?Os abusadores geralmente são mães, pais, padrastos, tios, amigos da família ou mesmo vizinhos?, comenta o procurador. ?Na maioria das vezes são pessoas que freqüentam a casa e são consideradas próximas das crianças ou adolescentes. Pouquíssimos casos são denunciados ou levados ao conhecimento da polícia.?

A ausência de denúncia muitas vezes acontece porque a pessoa que suspeita do ocorrido ou toma conhecimento dos fatos não possui provas. Dessa forma, sem saber como fazer um encaminhamento às autoridades competentes sem correr riscos, acaba preferindo não se envolver no caso.