As vítimas de acidentes de trânsito nem sempre conhecem seus direitos ou não possuem assistência para garanti-los. Em muitos casos, os acidentados e seus parentes somente vão atrás do seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) e se esquecem de itens como inquérito policial e afastamento previdenciário. A Associação Paranaense de Vítimas de Trânsito, Seus Familiares e Usuários do Transporte Rodoviário (Apavitran) foi criada, em outubro de 2004, para ajudar essas pessoas desamparadas quanto aos seus direitos e necessidades.

A presidente da entidade, Shenia Samira Nassin, conta que muitas vítimas não possuem condições financeiras de contratar um advogado para dar seguimento aos trâmites. O Ministério Público e a Defensoria Pública também não realizam esse tipo de atendimento. ?Falta muita orientação e informação porque não é preciso intermediário para pegar o seguro DPVAT, por exemplo. Muitas pessoas contratam advogados e vão pagar porcentagens em cima do benefício, quando não é necessário?, afirma.

Robson Fari Nassin, um dos advogados da associação, explica que as vítimas esquecem também do seguro privado do automóvel e das partes previdenciárias, cíveis e criminais. ?A camada que fica sem assistência muitas vezes não faz o que deveria pela falta de condições financeiras. Isso acarreta em impunidade. O infrator sente que não acontece nada e serve de exemplo para outros. A vítima procura o DPVAT, que é público, e não lembra que a pessoa culpada pelo acidente não foi responsabilizada?, opina.

Além da assistência jurídica, a Apavitran oferece acesso à fisioterapia, fonoaudiologia e tratamento psicológico para os associados, que pagam uma pequena mensalidade. Os profissionais credenciados pela entidade prestam serviços com preços abaixo dos praticados pelo mercado.

A fonoaudióloga Isabelle Rivera, que presta serviço para a entidade, esclarece que o acesso à esse tipo de tratamento também não atinge todas as camadas da população. A fonoaudiologia é trabalhada em conjunto com a fisioterapia, sendo imprescindível na recuperação do acidentado, de acordo com ela. O atendimento é feito na casa do paciente.

Serviço – A Apavitran fica na Rua Treze de Maio, 439, Centro. Telefone: (41) 3232-9874.