Foto: Fábio Alexandre/O Estado

Clarissa Luporine Schünke e os filhos Gabriela, de um ano e sete meses, e Diogo, de 4 anos.

Cerca de 385 mil alunos das redes municipal, estadual e particular de Curitiba voltam às aulas até o próximo dia 12. Porém, como as matrículas e transferências ainda estão abertas, certamente este número deve aumentar. Até dezembro passado, mais de 104 mil alunos haviam sido matriculados nas escolas municipais. Na rede estadual, até ontem, o número ultrapassava as 185 mil matrículas apenas em Curitiba e mais de 1,2 milhão em todo o Estado. Já as matrículas da rede particular giram em torno de 95 mil.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, as escolas municipais – que iniciam as atividades entre o dia 5 e 12 de fevereiro – terão ao menos 15 mil novos alunos matriculados na pré-escola e no 1.º ano do ensino fundamental. O maior movimento de volta às aulas será no dia 6, quando 70 escolas (42% da rede) voltarão a funcionar. O retorno das atividades tem datas diferenciadas porque as escolas possuem calendários próprios, definidos em parceria com as comunidades. Já os alunos das redes estadual e particular iniciam o ano letivo no dia 12.

Ambientação

As férias estão terminando e os pais de alunos de primeira viagem já se preocupam com a adaptação dos filhos ao ambiente escolar. Muitos começam a adotar algumas táticas para evitar que, nos primeiros dias de aula, as crianças chorem, façam birra, se recusem a ir para o colo das professoras e peçam para voltar para casa.

?A ida para a escola geralmente representa o primeiro afastamento da criança do ambiente familiar. Por isso, é normal que meninos e meninas se sintam ansiosos, chorem e mesmo apresentem alguns probleminhas de saúde, como dor de barriga e febre baixa. Entretanto, os pais podem amenizar o sofrimento dos filhos adotando algumas atitudes e demonstrando segurança diante da nova situação?, comenta a psicóloga e educadora, Maria Cristina Montingelli.

Segundo ela, o processo de adaptação das crianças deve começar bem antes do início das aulas. Ainda nas férias, os pequenos alunos devem ser levados à escola para algumas visitas rápidas. Estas são importantes para que as crianças conheçam o novo ambiente e percebam que o lugar tem coisas boas a oferecer. No momento da compra de uniforme, mochila, lancheira e outros materiais, os pais devem permitir que os filhos participem das escolhas.

Nos primeiros dias de aula, os adultos, por mais angustiados que estejam, devem demonstrar segurança. Maria Cristina aconselha que, após entregar os filhos aos responsáveis pela instituição, os pais fiquem nas proximidades da escola, mas nunca dentro da sala de aula. ?As crianças devem entender que a escola é um lugar delas e não dos pais.?

Dupla experiência

A artesã Clarissa Luporine Schünke já vivenciou a experiência do primeiro dia de aula com o filho mais velho, Diogo, de 4 anos. Agora, ela vai passar pela mesma situação com Gabriela, que tem um ano e sete meses e vai para a escola pela primeira vez nas próximas semanas. ?Diogo levou alguns dias para se adaptar. No começo, ele chorava e eu saía da escola com o coração na mão, por mais que confiasse bastante na instituição. Agora, com Gabriela, as coisas devem se repetir. Ela vê o irmãozinho colocar o uniforme e ir para a escola, mas não sabe o que ele vai fazer lá. Por isso, acredito que ela também deve dar um pouco de trabalho, mas sei que com o tempo vai se acostumar?, afirma.