O ministro das Cidades, Márcio Fortes, e o governador Roberto Requião, abriram ontem o Fórum Habitação Popular – Eu Faço, em Curitiba. O evento, que termina hoje, reúne alguns dos maiores especialistas brasileiros no assunto para debater e propor alternativas para o enfrentamento do déficit habitacional entre a população de baixa renda. "É um encontro importante para formarmos um conjunto de ações que sensibilizem os agentes responsáveis pela batalha contra o déficit habitacional", disse Fortes.

"São muitos os atores que participam desse processo, das entidades populares, como o Movimento Nacional de Luta pela Moradia, às Cohabs e à Caixa, passando por fornecedores de material de construção e a comunidade acadêmica", explicou o presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Luiz Claudio Romanelli. "Uma vez reunidos, esses agentes deverão pensar e propor alternativas para a construção de moradias voltadas à população carente", completou.

O ministro, porém, vê a situação do Paraná com bons olhos. "Trata-se de um Estado com uma condição de habitação positiva no panorama nacional, e mais importante, que se preocupa em criar e realizar políticas para sanar esse problema", disse. Para ele, a situação mais delicada é a das invasões em áreas de proteção, que têm difícil solução. "A ocupação desordenada das regiões metropolitanas é um problema grave, que têm como um de seus reflexos a violência urbana".

O Fórum Habitação Popular – Eu Faço acontece no Paraná Clube (Av. Pres. Kennedy, 2.377). Inscrições gratuitas pelo telefone (41) 2104-6543.