Freqüentadores seguem os doze passos do AA.

Os Alcoólicos Anônimos (A.A.) estão comemorando hoje 36 anos de existência no Paraná. Atualmente, o grupo conta com mais de 300 grupos espalhados pelo Estado, reunindo 4,5 mil pessoas em tratamento. Em virtude das comemorações, a entidade promoveu na quarta-feira uma Reunião Aberta ao Público no Centro de Convenções de Curitiba. O tema alcoolismo e os jovens também foi abordado em uma palestra durante o evento.

Paulo F., membro de um dos grupos do A.A. em Curitiba, explica que durante esses anos houve uma quebra de tabus tanto da sociedade quanto dos próprios doentes. “Hoje existem mais condições de tratar as pessoas que nos procuram. A maioria já sabe que o alcoolismo é uma doença incurável e progressiva”, afirma.

Dentro dos encontros dos grupos, o alcoólatra conversa e ouve as experiências de outros doentes que também passaram por sofrimentos, dificuldades e pelo sucesso da reabilitação. Os freqüentadores necessitam seguir e aplicar em cada atividade do seu dia-a-dia os doze passos do A.A. “O primeiro passo para a recuperação é aceitar que está doente”, conta Paulo. Os outros pontos abordam a recuperação da auto-estima; a relação com Deus, na forma em que cada um acredita; a visão das falhas e a mudança do estilo de vida; a conversa e o pedido de perdão às pessoas que foram prejudicadas durante o período de bebedeira; transmissão da mensagem a outros doentes que estejam sofrendo; entre outros. “É um movimento espiritual. Os Alcoólicos Anônimos não servem apenas para parar de beber, mas também para modificar atitudes, se encontrar novamente”, comenta Paulo.

Par ele, o grande segredo da recuperação é ter boa vontade. “Se não quiser, não dá para sair disso. O doente também precisa fazer a sua parte”, opina. De acordo com Paulo, muitos interessados em ingressar nos grupos acabam arranjando desculpas para evitar a recuperação. Alguns têm intervalos entre recaídas e momentos de sobriedade. “A vontade de beber passa durante a conversa. O doente precisa colocar na cabeça que é necessário preocupa-se com ele mesmo em primeiro lugar”, observa.

Os participantes têm um lema diário, que lembram assim que acordam: evite o primeiro gole só por hoje. “A gente não sabe o dia de amanhã. Cada dia é uma vitória”, revela Paulo, que está no A.A. desde de 1989. Mais informações pelo telefone (41) 222-2422.