Centenas de agricultores e entidades ligadas à agricultura familiar realizaram manifestação, no início da tarde de ontem, no Centro. O objetivo dos manifestantes, segundo a Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul (Fetraf-Sul), foi protestar contra a marginalização da agricultura familiar. Além disso, os agricultores cobram maior empenho do governo nos projetos sociais e alertam a população sobre a importância da categoria.

“Esperamos que o governo nos dê atenção e atenda nossa pauta”, declarou o coordenador da Fetraf-Sul, Neveraldo Oliboni. Os agricultores familiares saíram do Centro de Convenções – onde participaram pela manhã de seminário para discutir modelo alternativo de produção agrícola e questões fundiárias – e seguiram até a Boca Maldita, depois de percorrer as principais ruas centrais. Durante a passeata, exigiram mais investimentos em programas como o Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e de Aquisição de Alimentos (PAA), que atendem a todos os trabalhadores que participam do ato.

Movimentos

Além dos agricultores, também participaram do ato entidades como o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf), Central Única dos Trabalhadores e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). De acordo com decreto das Organizações das Nações Unidas (ONU), 2014 será o Ano Internacional da Agricultura Familiar.

Confira a galeria de imagens da manifestação.