Foto: João de Noronha/O Estado

Oriovisto Guimarães, Manoel Oliveira Franco e Claudio Slaviero  apresentaram a proposta da campanha em visita ao diretor-presidente do GPP, Paulo Pimentel, e a Daniel Pimentel Slaviero.

A Associação Comercial do Paraná (ACP) e a Ordem dos Advogados do Brasil – seção Paraná (OAB/PR) criaram o Movimento Brasil Melhor. Apartidário, a campanha é aberta à participação de qualquer cidadão e tem como objetivos principais lutar pela redução do número de deputados federais, redução de cargos de confiança nos Três Poderes e a discriminação do valor dos tributos em todas as mercadorias e serviços. ?Trata-se de um movimento que quer um Brasil mais justo através de um governo mais eficiente?, diz o presidente da OAB/PR, Manoel Antonio de Oliveira Franco.

O presidente da ACP, Cláudio Slaviero, explica que a campanha vai buscar apoio de candidatos que tenham afinidade com as propostas e fazer com que eles assumam publicamente o compromisso de defender as bandeiras do movimento. ?São mudanças necessárias e urgentes para que tenhamos um País mais justo?, afirma Slaviero.

O movimento propõe que se reduza o número de deputados federais dos atuais 513 para 180, o que geraria a proporcionalidade de um deputado para cada um milhão de habitantes. ?Atualmente 75% dos gastos da Câmara Federal são referentes a despesas com pessoal. Além do ganho econômico, a redução geraria a eleição de pessoas mais bem qualificadas?, elenca o presidente da OAB/PR.

Um dos primeiros empresários a abraçar a causa, o presidente do Grupo Positivo, Oriovisto Guimarães, ilustra a falta de equilíbrio entre o gasto com deputados e com o resto dos poderes. Segundo ele, o orçamento da União prevê um gasto de R$ 6 bilhões com o Congresso Nacional e apenas R$ 4 bilhões com o Ministério da Ciência e da Tecnologia. ?Se dá mais valor a discurso de deputado do que com pesquisa científica?.

A segunda proposta do movimento, de reduzir ao máximo os cargos de confiança no Brasil, traria como benefícios imediatos, segundo as entidades, o fim do nepotismo e o favorecimento em diversas esferas da administração pública. ?E o Estado brasileiro seria mais bem administrado?, pondera Slaviero. Já a discriminação dos impostos cobrados em todas as mercadorias e serviços geraria políticas econômicas mais transparentes. Quem quiser participar pode acessar o site www.movimentobrasilmelhor.org.