João de Noronha / GPP
João de Noronha / GPP

Os preservativos devem ser distribuídos em um processo educativo que visa a adoção de práticas de sexo seguro.

A Secretaria da Saúde está enviando mais de 2 milhões de preservativos para as suas 22 regionais, este mês. Este número equivale a quase o dobro do que é distribuído mensalmente no Estado. Além disso, vão ser distribuídos, no carnaval, 96 mil leques e 98 mil viseiras produzidos pelo Programa Estadual de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e Aids.

As ações da Secretaria no carnaval vão começar no domingo (19) na cidade de Paranaguá com a festa do Banho à Fantasia. ?Estamos fazendo um trabalho educativo o ano todo com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância do uso do preservativo?, disse o secretário de Saúde, Cláudio Xavier.

A Secretaria de Saúde também vai participar, com uma equipe de 50 pessoas, dos eventos que acontecerão no litoral. Os profissionais de saúde distribuirão leques, viseiras e fornecerão informações sobre o uso da camisinha e de métodos que evitem a proliferação de doenças sexualmente transmissíveis, além da distribuição de leques e viseiras. ?Já começamos com esta campanha na Operação Viva o Verão. A Secretaria possui uma barraca que percorre as principais praias dando orientações de vigilância epidemiológica e orientando a população sobre o uso correto dos preservativos masculino e feminino?, explicou Xavier. Em todo o Estado, os profissionais de saúde vão levar informação para os foliões com os mesmos materiais.

Preservativos

Os preservativos devem ser distribuídos em um processo educativo que visa a adoção de práticas de sexo seguro para prevenir as DST e a aids. ?Os preservativos distribuídos pelo Programa de DST e Aids do Paraná visam suprir as ações de prevenção que já vêm sendo realizadas nos municípios?, disse a coordenadora do Programa, da Secretaria da Saúde, Ivana Kaminski.

Segundo os critérios estabelecidos pelo Programa Nacional de DST e Aids, a distribuição de preservativos em eventos não deve comprometer as ações que vêm sendo realizadas nas rotinas dos serviços de Saúde. Contudo, o Programa Nacional divulgou, em seu site, que vai encaminhar 1,2 milhão de unidades ao Paraná para as ações de carnaval. A Secretaria de Saúde fará o repasse para as Regionais de Saúde assim que os preservativos chegaem ao Estado.

Outra questão apontada será a forma de distribuição de preservativos. Para evitar o desperdício e integrar a distribuição do preservativo a um trabalho de orientação e informação, é recomendada a entrega de ?vales preservativos?, ou a organização de um espaço adequado à distribuição do material, onde possa ser realizada alguma ação educativa.

Aids 

No Estado do Paraná foram notificados, de 1984 a 2006, 16.644 casos de Aids, 15.937 dos quais ocorreram em adultos e 707 em crianças com menos de 13 anos. As cinco cidades com maior número de casos são Curitiba, Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu e Paranaguá. A maior incidência está em Paranaguá e a média de casos novos no Paraná é de 1.300 por ano.

Das pessoas contaminadas por aids, 67% são homens e 34% mulheres. Quanto à categoria de exposição, os heterossexuais são a maioria com 9.820 casos, seguidos pelos homossexuais com 2.175, bissexuais com 1.342, usuários de drogas com 813 casos, hemofílicos com 34, transfusão com 34 e perinatal com 707 casos. A faixa etária com maior número de casos é a dos 15 aos 49 anos, representando 91% do total de casos no Paraná.