O Governo Federal investirá R$ 27,9 milhões no Paraná até o fim de 2005 nos Programas de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e o Sentinela. Atualmente, 48.134 crianças são beneficiadas pelo PETI em 193 municípios do Estado. ?O número de crianças e adolescentes contemplados pelo programa aumentou em agosto deste ano. Antes disso eram 44.434 atendidos em 156 municípios, ou seja, a verba aplicada no PETI cresceu 10%?, explica o secretário do Trabalho, Emprego e Promoção Social, padre Roque Zimmermann.

O Sentinela, programa que combate a violência infanto-juvenil, funciona em 28 municípios do Paraná e atendeu no primeiro semestre deste ano 4.858 crianças e adolescentes ? 63% do sexo feminino. O valor de R$ 1.858.800 será utilizado até dezembro de 2005 na contratação de profissionais como psicólogos, pedagogos e assistentes sociais.

Na maior parte dos casos atendidos de janeiro a junho deste ano nos centros do Sentinela, o tipo de violência mais registrado foi o abuso sexual, atingindo 28% dos meninos e 41% das meninas. ?Tanto no combate ao trabalho infantil como à violência contra crianças e adolescentes precisamos da sociedade como aliada?, apela o secretário. Segundo ele, a denúncia é fundamental para o andamento de ambos os programas e a garantia dos direitos descritos no Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA.

Para denunciar qualquer tipo de abuso ou exploração sexual infanto-juvenil ligue para os telefones 0800 990 500, para todo o território nacional, 0800 643 8111, em Foz do Iguaçu e 156, em Curitiba. Para denúncias ligadas ao trabalho precoce de crianças e adolescentes no Paraná basta ligar para a Delegacia Regional do Trabalho nos telefones (41) 3219-7716 ou 3219-7722, ou mandar email para marilza@drtpr.tem.gov.br.

A DRT aceita também carta anônima encaminhada à Seção de Inspeção do Trabalho, na Rua José Loureiro, 574 CEP 80010-924, Curitiba-PR.