Os técnicos da Secretaria da Administração e da Previdência (Seap), em parceria com outras instituições do poder público, estão preparando um programa que promete inovar nas tarefas de qualificação profissional e de gestão da máquina pública. Trata-se da Escola de Governo, que será lançada oficialmente pelo governador Roberto Requião e pela titular da Seap, Maria Marta Lunardon, na próxima quinta-feira, em evento a ser realizado no Canal da Música, em Curitiba.

A escolha da data, em que se comemora o dia do funcionário público, não foi à toa. A Escola de Governo é voltada justamente aos servidores do Estado. De acordo com Maria Marta, mais do que oferecer cursos, palestras, seminários e oficinas, o programa tem o objetivo de despertar habilidades adormecidas, preparar os funcionários ? de qualquer escalão ? para desempenhar, com o máximo de estrutura e qualidade possíveis, sua missão.

Dessa forma, continua a secretária, o poder público terá condições de atender, com mais rapidez, eficiência e menores custos, às necessidades da população paranaense. “A Escola de Governo não é apenas um programa de treinamento de servidores. É um conjunto de ações que buscam novas posturas de gestão pública.”

Integração

Em síntese, a Escola de Governo vai integrar todos os centros e divisões de treinamento existentes hoje nas instituições públicas do Estado. O objetivo é fazer com que todas elas trabalhem de forma conjunta; troquem experiências; forneçam subsídios umas às outras.

O programa não se restringe, porém, à integração dos atuais centros. Consiste também em novas maneiras de se proporcionar qualificação profissional, a partir de cursos, congressos e seminários mais freqüentes, de qualidade técnica, e mais apropriados a cada área do poder público. Inclui ainda o estudo e a adoção de medidas que possibilitem mais agilidade ao funcionamento da máquina estatal.

A Escola de Governo será gerenciada por um conselho superior, formado pelos próprios funcionários do Estado. Com esse conselho, trabalharão câmaras técnicas a serem criadas (constituídas, por exemplo, por professores) – cada uma delas será responsável por determinados temas.