ecoterra.jpgO Paraná ainda é um dos estados que mais destrói a Mata Atlântica. Restam 3.920.000 hectares da mata original e a área original da vegetação está reduzida a 20%. É o que afirma Mário Mantovani, diretor de relações institucionais da ONG Fundação SOS Mata Atlântica, em entrevista coletiva online para a imprensa. "O Paraná foi o campeão de desmatamento de 1985 a 1990 e retomou o posto de 1995 a 2000". A Mata Atlântica é hoje uma das florestas tropicais mais ameaçadas do mundo. Da área original restam hoje apenas 7%. Apesar disto, mais de 60% da população brasileira está inserida nesta importante Reserva da Biosfera, como foi declarada pela Unesco. "Estamos perdendo ainda um campo de futebol dessa floresta a cada 4 minutos" completa Mantovani.

Ele explica que a situação de desmatamento piorou muito nos últimos oito anos e culpa o governo Jaime Lerner, por não ter desenvolvido políticas de preservação, e também a pressão da bancada ruralista no Congresso Nacional. Durante a entrevista foi levantado o caso da fazenda Araupel, no oeste do Paraná. Área que foi comprada para a reforma agrária e uma das grandes apostas do governo federal na questão fundiária.

Segundo Mantovani "o maior desmatamento identificado por nós nos últimos dezoito anos aconteceu no município de Rio Bonito do Iguaçu, onde temos a Araupel." O grande agravante é que esta área teria sido destruída pelo movimento dos sem-terra nos anteriores, tornando-a improdutiva.

www.ecoterrabrasil.com.br