O governador Roberto Requião encaminhou ao governo federal uma solicitação para o incremento das atividades aduaneiras em Capanema, na divisa com Andresito, Província de Misiones, na Argentina.

O intenção é transformar a fronteira, a exemplo de Foz do Iguaçu, em um efetivo pólo para o livre fluxo de mercadorias exportadas, gerando riquezas e atraindo o turismo para o Paraná e o Brasil.

O documento foi enviado aos ministros José Dirceu (Casa Civil), Antonio Palocci (Fazenda), Roberto Rodrigues (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e ao secretário da Receita Federal, Jorge Antônio Rachid.

A ponte internacional foi construída com recursos do Estado durante a primeira gestão do governador Roberto Requião, entre 1991 e 1994. Coube ao governo federal implantar uma unidade aduaneira da Receita Federal no lado brasileiro.

Os acessos à ponte estão asfaltados. No entanto, só é permitida a passagem de carros de passeio e de pedestres, no horário das 8 horas às 18 horas. No domingo, o trânsito é fechado.

?A ligação no local é estratégica para incrementar as ações do Mercosul, uma vez que é uma alternativa no processo de integração do mercado comum?, explica o chefe da Casa Civil, deputado Caíto Quintana.

A melhoria no local, acrescenta Caíto, vai servir para desafogar e ampliar o desembaraço de mercadorias destinadas a Foz do Iguaçu, no Paraná, e Puerto Iguazu, na Argentina.