O coordenador de desenvolvimento economicamente e socialmente sustentável do Banco Mundial na América Latina, Michael Carroll, afirmou na noite da última quinta-feira (24), que o Paraná será um dos principais colaboradores de uma rede de integração de projetos financiados pelo Banco e pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF) nos países da América Latina.

A criação da rede foi anunciada durante uma apresentação dos nove programas apoiados pelo GEF e pelo Banco Mundial, realizada no Expotrade, em Pinhais, paralelamente à 8ª Reunião das Partes da Conferência de Diversidade Biológica (COP8), da ONU. Em comum, todos os programas associam a agricultura com a conservação da diversidade biológica.

O Paraná irá contribuir por meio das suas ações do Programa Paraná Biodiversidade – executado há três anos pela secretarias do Meio Ambiente e da Agricultura, sob coordenação da Secretaria do Planejamento.

Segundo Michael Carroll, o Paraná Biodiversidade foi o primeiro programa latino-americano financiado pelo GEF. ?O Paraná Biodiversidade com certeza será um dos principais colaboradores, pois já apresenta resultados e avanços, como os trabalhos desenvolvidos com as comunidades e a implantação dos módulos agroecológicos?, disse o representante do Banco Mundial.

O secretário do Meio Ambiente, Luiz Eduardo Cheida, enumerou alguns resultados: ?foram mais de 10 mil agricultores beneficiados, 40 módulos agroecológicos implantados e mais de 2 milhões de hectares que têm sua preservação garantida através dos corredores da biodiversidade?.

Cheida destacou que o programa desenvolvido no Paraná está em conformidade com os anseios do Banco com relação à sua execução. ?A conservação da biodiversidade para estes grupos não significa somente a criação de parques, mas, principalmente, o desenvolvimento de atividades econômicas cotidianas associadas à preservação da diversidade biológica?, disse o secretário.

Durante a apresentação, Michael Carroll ainda afirmou que o modelo adotado para implantação dos módulos agroecológicos poderá ser utilizado em outros programas da rede. ?Cada localidade terá módulos de acordo com as suas características, mas o conceito em si será exportado?, completou.

O Programa

Alinhado com outros programas governamentais, especialmente o Paraná 12 Meses e o Programa Mata Ciliar, o Paraná Biodiversidade tem, dentre seus objetivos, estimular a sociedade a participar dos processos de conservação da biodiversidade, capacitando-a a contribuir na recuperação e manutenção da qualidade dos ecossistemas.

Fazem parte do projeto, ainda, ações como a de promover a formação de corredores ecológicos e a adoção de boas práticas agrícolas, incentivando sistemas produtivos mais sustentáveis e práticas de agricultura orgânica e conservacionista, agroecologia, agrossilvicultura, manejo biológico de pragas, redução de uso de agrotóxicos e proteção de matas ciliares, entre outros.

Cerca de U$ 32 milhões estão sendo investidos no Programa Paraná Biodiversidade com apoio financeiro do GEF, que o considera uma experiência pioneira no mundo.

Estande

O Paraná Biodiversidade está participando da feira realizada no Expotrade em que diversos países, Organizações Não-Governamentais (ONGs) e outras instituições apresentam seus principais programas em benefício da diversidade biológica.

Diariamente, dezenas de pessoas visitam o estande para conhecer um pouco mais as ações desenvolvidas no Estado. Uma delas que esteve na última quinta-feira (23) foi a designer Cassiana Mazanek, que elogiou a qualidade gráfica do material distribuído pelo Programa. ?As informações estão fáceis de ser localizadas e conseguiram aliar conteúdo interessante sem ofuscar as fotos que retratam as belezas do nosso Estado?, disse a designer. ?O mapa que ilustra os corredores da biodiversidade levarei para minha mãe, que é professora, para trabalhar em sala de aula?, completou.