Brasília – Cruzamento de dados feito pela Radiobrás, com base no resultado do primeiro turno da eleição presidencial e na obra Atlas da Exclusão Social, mostra que os eleitorados de Luiz Inácio Lula da Silva (PT-PCdoB-PRB) e de Geraldo Alckmin (PSDB-PFL) pertencem, majoritariamente, a grupos opostos no que diz respeito a índices de desenvolvimento humano, exclusão social, escolaridade e pobreza.

Para o economista Marcio Pochmann, pesquisador da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e um dos coordenadores do Atlas, a cisão do eleitorado traz uma revelação significativa. ?O resultado eleitoral comprova a existência de dois ?brasis?. É um dado importante, a ser levado em conta neste segundo turno e até mesmo após as eleições, como forma de entender as expectativas da população e as políticas necessárias para o país?.

?As regiões com maior marca de exclusão, que hoje vivem a perspectiva de transformação desse quadro, têm identificação maior com o candidato do PT, que está no governo, adotando políticas de transferência de renda e aumento do salário mínimo. As áreas mais nobres estão mais associadas a Alckmin por, exatamente, não viverem nessa perspectiva e priorizarem outros fatores para o desenvolvimento do país. Percebemos, no entanto, menor polarização do voto onde o grau de desigualdade social não é tão intenso e a diferença no programa dos dois candidatos não se revela?, diz o economista.

Pochmann alerta para a necessidade de associar outros fatores à interpretação do voto, como a atividade econômica desenvolvida em cada região. Independentemente das condições sócio-econômicas, os moradores de cidades que vivem do agronegócio, por exemplo, tendem a ser contra a reeleição de Lula por conta de dificuldades enfrentadas pelo setor, segundo ele. Já os eleitores de municípios que têm na base da economia a exploração mineral, que cresceu nos últimos anos, devem preferir o candidato petista.

Confira todas as informações sobre o cruzamento de dados ao lado, numa série de reportagens e no infográfico ?Os votos de Lula e Alckmin?.