Brasília – O sub-relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas, deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), defende que a primeira reunião da comissão depois do primeiro turno das eleições, que será realizada amanhã (10), deve entrar na investigação da negociação do dossiê com documentos que envolveriam políticos do PSDB com a compra superfaturada de ambulâncias.

Segundo ele, a Polícia Federal precisa acelerar os trabalhos de investigação. Gabeira criticou, inclusive, o método divulgado pela Polícia Federal para cruzar 500 ligações telefônicas para indicar os culpados pela negociação do material. ?Se a reunião de amanhã permitir, vamos entrar nas investigações do dossiê e vamos tentar uma certa maneira de contribuir para que a Polícia Federal saia desse impasse. A PF está avançando muito lentamente?, disse.

?A PF está usando táticas que não te estimula muito a imaginar que haverá uma saída a curto prazo. Uma delas é cruzar 500 número telefônicos, um processo muito difícil. Claro que há programas de computador que podem te ajudar muito nisso, mas é um cruzamento delicado e difícil?, afirmou. A reunião também deve votar.