Rio de Janeiro – A crise por que passa o setor aeroviário brasileiro foi um dos motivos relacionados pela representação da Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero) para justificar o retorno dos atrasos e cancelamentos de vôos no aeroporto internacional da cidade.

Por meio da assessoria de Comunicação Social, a Infraero explicou que essa crise envolve do trabalho dos controladores de vôo à falta de aeronaves disponíveis no mercado internacional. Outro motivo seria um aumento no número de passageiros, entre 10% e 15% no período de Natal. Também hoje o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, ficou fechado por 40 minutos, devido às condições do tempo.

A  falta de aeronaves, segundo a Infraero, leva as companhias a operarem no limite, sem capacidade de aumentar suas frotas, e ainda contribui decisivamente para os atrasos, quando ocorre falha mecânica em um dos aparelhos em operação. 

Mais um problema teria contribuído: uma falha no software utilizado pela TAM ? a única empresa a utilizar sistema próprio, e não o da Infraero, como as demais ? causou uma seqüência de atrasos nos seus vôos em todo o país.

Ontem (20), de acordo com a Infraero, um avião da TAM que seguiria para Recife às 23 horas apresentou problemas técnicos e só conseguiu decolar às 2h40 de hoje. Os passageiros já estavam embarcados e foram retirados pela Polícia Federal depois que a tripulação abandonou o avião, já que haviam extrapolado o horário de trabalho.

Um defeito mecânico também provocou o atraso de mais de 15 horas de um vôo da American Airlines, que seguiria ontem  para Miami (EUA).