O governo do Paquistão assegurou hoje que prenderá o milionário saudita no exílio Osama bin Laden caso ele seja encontrado no país, apesar da trégua entre Exército e milicianos islâmicos em uma remota região tribal na fronteira com o Afeganistão. "O Paquistão está comprometido com sua política de combate ao terrorismo. Caso Osama seja detido em qualquer lugar do Paquistão, ele será levado à justiça", afirmou um porta-voz do Exército.

Ontem, representantes do governo e líderes rebeldes assinaram uma trégua com o objetivo de encerrar anos de violência na região tribal de Waziristão do Norte. Acredita-se que os rebeldes paquistaneses apóiem a milícia fundamentalista islâmica Taleban e a rede extremista Al-Qaeda.

Alguns observadores manifestaram temores de que o pacto resultaria num local seguro para líderes extremistas como Bin Laden, pois o documento prevê uma anistia a combatentes locais e estrangeiros. "O Exército não está em condições de derrotar as tribos", avaliou o analista político paquistanês Rusul Basksh Rais.