O grupo Pão de Açúcar, que fechou 2006 com uma queda de 66,7% no lucro, pretende fechar dez lojas neste ano. Mas, segundo o diretor-presidente da companhia, Cássio Casseb, o fechamento das unidades não está relacionado ao resultado. Deve-se a um processo normal de avaliação do desempenho de pontos-de-venda e de alterações nos mercados onde estão localizadas. "A gente sempre está analisando. Algumas mudanças nas cidades levam à decisão de fechamento", afirmou, em teleconferência com analistas.

Na avaliação do executivo, o processo maior de fechamento de unidades foi feito em 2006, quando a companhia implantou processo mais agressivo de reestruturação. No período, foram fechadas 28 lojas. Neste ano, porém, serão abertas 30 unidades, sendo dez hipermercados e 20 supermercados. O total previsto ainda não inclui a provável expansão da Extra Perto – bandeira de lojas de conveniência, lançada no final do ano passado.

Atualmente, o grupo conta com oito pontos em funcionamento do Extra Perto, além de outros dois em fase de implantação. O período de operação, ainda considerado de testes, deve ser avaliado em meados do ano. Posteriormente, a companhia definirá os projetos para a rede.