O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, informou hoje que o governo vai sacar a parcela de US$ 9,1 bilhões a que tem direito, caso o Fundo Monetário Internacional (FMI) aprove a terceira avaliação do acordo envolvendo US$ 30 bilhões. “Não há porque não fazê-lo”, argumentou Palocci. O ministro disse estar certo de que o Fundo “dará continuação normal ao acordo”. O ministro também afirmou que o Fundo está animado com os indicadores econômicos, como risco país e a queda da taxa de câmbio. “Todo mundo que torce a favor do Brasil – e eu tenho certeza que o Fundo torce também – só pode ver com bons olhos a melhoria dos nossos indicadores e é assim que eles têm visto”, disse Palocci. Até agora, o país já sacou US$ 10,4 bilhões, dos quais US$ 4,1 bilhões foram em março deste ano, e o restante no ano passado. Caso a missão aprove a terceira revisão, o montante será liberado em junho.