A 47ª Reunião Anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) termina hoje (5) na capital mineira. Representantes dos 47 países acionistas vão firmar o compromisso de implementar programas que visem igualdade social, redução da pobreza e desenvolvimento das empresas privadas, principalmente as pequenas e médias, responsáveis por mais da metade dos empregos na região.

Neste momento, os governadores estão reunidos na quarta e última sessão plenária. Logo depois, ocorre a sessão de encerramento, na qual o presidente do BID, Luis Alberto Moreno, apresenta o documento com as deliberações do encontro.

Entre elas, a criação de um comitê para analisar o perdão da dívida de cinco países com o BID, a ampliação dos investimentos no setor privado e nos projetos de infra-estrutura, além de avanços para a concessão de empréstimos em moeda local.

O documento enfatiza que todos os programas devem ser fiscalizados pelos países acionistas do BID. O relatório anual do banco apresentado no encontro mostra que em 2005 a economia dos países da América Latina e Caribe cresceu 4,3%, abaixo dos 5,9% de 2004.

Assim mesmo, segundo o texto, a maioria dos países da região aumentou suas reservas internacionais e a necessidade de investimentos externos foi "modesta". A inflação média nos países latino-americanos caiu de 6,7% em 2004 para 5,5% no ano passado.