O empresário Djair Silvério da Cunha, de 52 anos, pai do jogador Diego, do Werder Bremen, da Alemanha, foi libertado provisoriamente ontem à tarde, após 56 dias. Cunha, acusado de tentativa de homicídio contra o professor de Educação Física Romílson Garcia Ribeiro, estava no Centro de Detenção Provisória (CDP), desde 6 de fevereiro.

A decisão judicial da liberdade do empresário foi do juiz da Vara do Júri e de Execuções Criminais de Ribeirão Preto, Luiz Augusto Freire Teotônio. O mesmo juiz acatou a denúncia de tentativa de homicídio, feita pelo Ministério Público Estadual (MPE), e abriu processo contra Cunha. O advogado de defesa tinha recorrido ao Tribunal de Justiça (TJ), em São Paulo, mas a liminar em habeas-corpus foi negada. O mérito ainda não foi julgado. O genro de Cunha, Leandro Oliveira de Melo, que seria seu cúmplice, continua foragido da Justiça.