O Superior Tribunal de Justiça (STJ) deve decidir, ainda nesta quinta-feira (3), se aceita a reclamação da VarigLog, nova controladora da Varig, solicitando o desbloqueio de US$ 75 milhões de dólares da companhia, determinado judicialmente na última segunda-feira (31). A liminar bloqueando os recursos foi concedida pela 33ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, para garantir o pagamento de salários atrasados dos funcionários e também de direitos trabalhistas de 5,5 mil empregados demitidos na semana passada.

A reclamação encaminhada pela VarigLog para reverter o bloqueio deu entrada terça-feira (1) no STJ e, de acordo com a assessoria de imprensa do órgão, o relator do processo, ministro Ari Pargendler, anunciou que deve decidir ainda hoje se atende a solicitação.

No Rio de Janeiro, também é aguardada para hoje uma manifestação do juiz Luiz Roberto Ayoub, da 8ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, que conduz o processo de recuperação judicial da Varig, sobre a liminar que bloqueia os recursos.

Um grupo de funcionários da empresa esteve em reunião desde as 10 horas da manhã para decidir sobre novas medidas judiciais que podem vir a ser tomadas para garantir os direitos trabalhistas dos empregados demitidos. Os funcionários não concordam com a intenção da VarigLog de pagar as verbas recisórias com títulos a vencer no futuro.

De acordo com o presidente da Associação de Pilotos da Varig, Rodrigo Marocco, ?isso não é moeda para pagar recisão, verbas recisórias tem que ser pagas em dinheiro?.

O piloto também informou que o Sindicato Nacional dos Aeronautas entrou hoje (3) com uma ação pública civil junto ao Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro, solicitando um novo bloqueio de recursos da VarigLog. Desta vez, o valor é de R$ 244 milhões que, segundo Marocco, seria o suficiente para saldar as dívidas trabalhistas. ?Nós estamos pedindo o arresto dos bens da Varig Log?, afirmou.

De acordo com a assessoria do tribunal, a ação foi encaminhada para 33ª Vara do Trabalho para apreciação.