Os investimentos em ouro lideraram, com folga, o ranking das maiores rentabilidades em janeiro e acumularam ganho de 3,32%. Sozinha, essa aplicação rendeu mais que a soma dos fundos de renda fixa, fundos DI, CDB e caderneta de poupança. No ano passado, o ativo ficou em terceiro lugar no ranking geral de aplicações, com valorização de 12,69%, ficando atrás apenas da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e dos fundos multimercados.

O investimento, considerado conservador, é indicado como forma de diversificação do portfólio, especialmente em momentos de incertezas da economia, afirma a analista de investimentos Kelly Trentin, da SLW Corretora. Segundo ela, o ativo é um refúgio para investidores que estão com recursos em produtos de maior risco, como a bolsa, que em janeiro teve momentos de grandes turbulências. Com a demanda maior, a cotação do ativo tende a subir.

A vice-liderança do ranking das maiores rentabilidades ficou com os fundos de renda fixa, que tiveram rendimento líquido de 0,86% no mês. Em terceiro lugar foi ocupado pelos fundos DI, cujo ganho líquido médio foi de 0,83%. Os CDBs, com aplicações acima de R$ 100 mil, renderam 0,80% e a caderneta de poupança, 0,72%. A Bovespa terminou o mês nos últimos lugares, com uma rentabilidade de apenas 0,38%

Para fevereiro, as atenções estarão voltadas para os indicadores de crescimento e inflação dos Estados Unidos e à evolução das commodities, afirma o administrador de investimento Fabio Colombo. Na avaliação dele, apesar das reduções dos juros, os fundos DI continuarão dando boa rentabilidade, sendo a opção mais rentável e segura do momento

Na avaliação da analista da SLW, a bolsa continua uma opção interessante de investimento para 2007, podendo atingir 53.000 pontos. Até ontem, a Bovespa estava em 44.641 pontos. Mas o desempenho continuará atrelado ao cenário externo, especialmente ao americano. ?Apesar da queda da inflação nos Estados Unidos, o banco central local ainda considera o atual patamar desconfortável.