O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou hoje que organizações criminosas, como o Primeiro Comando da Capital (PCC), sempre existiram e que a diferença é que no Estado de São Paulo elas são enfrentadas. "O PCC não surgiu agora. E organização criminosa em cadeia, liderança, organização do crime, isso sempre existiu", disse, durante sabatina promovida pelo Grupo Estado, na capital paulista. "Aqui, ele é enfrentado. É diferente", acrescentou.

O ex-governador paulista negou que alguns componentes do governo tucano – antes da onda de violência promovida pela facção no Estado – teriam afirmado que o PCC havia acabado. "Um delegado fez essa declaração e eu quero dizer aqui o seguinte: essa é uma guerra que tem que vencer uma batalha todos os dias.

Alckmin criticou também o policiamento de fronteira, coordenado pelo governo federal, de seu adversário na disputa, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que, segundo Alckmin, se omitiu na questão da segurança.

De acordo com ele, caso eleito, será feita uma "união nacional" sobre a segurança, sem omissão do presidente. "Eu tenho um lado. O meu lado é contra o crime", ressaltou.