O Pan-Americano de 2007 no Rio vai ser acompanhado à distância pela Fifa, interessada em aferir a capacidade de organização dos brasileiros. Apesar de a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não ter nenhuma ingerência no Pan, a entidade máxima do futebol pode extrair dos Jogos uma idéia de como os serviços do País funcionam num evento de porte internacional.

Embora a Fifa não se manifeste a respeito – e nem vai fazer isso -, as brigas políticas entre as três esferas de governo (federal estadual e municipal) na liberação e utilização de recursos para as obras do Pan já causaram impressão negativa de como as autoridades locais podem lidar com a candidatura do Brasil à sede do Mundial de 2014 – com dificuldade.