Enquanto os partidos aliados do governo trabalham para a retirada de assinaturas do requerimento para criação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, os partidos de oposição trabalham para conseguir novas assinaturas de aliados e também para manter as atuais. O PDT, atráves da Executiva Nacional, decidiu apoiar "integralmente" a criação da CPMI.

Em nota oficial, assinada pelo presidente do partido, Carlos Lupy, o PDT afirma que a CPMI se destina a investigar as denúncias de corrupção nos Correios, "como também para estancar a onda de corrupção divulgada por todos os órgãos de imprensa". Lupy está pedindo a todos os deputados do partido para assinarem o requerimento até a meia noite de hoje. Dos 14 deputados da bancada, nove assinaram o requerimento. Também assinaram o requerimento os quatro senadores do partido.

No PPS, que era da base aliada e foi para a oposição, os 18 deputados da bancada assinaram o requerimento para criação da CPMI. A última adesão ocorreu hoje, quando a deputada Maria Helena (RR), que estava viajando para a Antártida, chegou à Brasília e assinou o requerimento. O presidente do PPS, deputado Roberto Freire (PE), rechaçou os argumentos da base aliada de que a comissão é uma tentativa da oposição de desestabilizar o governo.

"A CPMI deve ser instalada em benefício da moralidade no poder público. É lamentável que o governo tenha medo dela", disse o presidente do PPS. De acordo com Freire, a CPMI deve ser conduzida de maneira responsável, "sob pena de desmoralização da atividade política".