Parlamentares do PV, do PSOL e do PPS que querem investigar a "máfia dos sanguessugas" no Congresso começaram ontem a colher as assinaturas para um novo requerimento com a finalidade de instalar CPI. Na noite de terça, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), depois de discutir com o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), deu prazo até terça-feira para que os partidos entreguem o pedido para criação da CPI.

Renan provocou a ira de Gabeira porque usou um erro formal do requerimento para recusá-lo. Em vez de "signatários", a lista com assinaturas apresentava os parlamentares como "apoiadores". O deputado retrucou e disse que o presidente do Senado iniciara uma "guerra".

No entanto, o empenho de Gabeira – que prometeu lançar "coquetéis molotov" contra os adversários da CPI – não deve vingar. Tudo porque, às vésperas do período eleitoral, o Congresso está desmobilizado e os parlamentares não demonstram interesse em ficar em Brasília para investigar por meses seus pares. "Vamos ter dificuldade natural, mas tenho certeza de que vamos conseguir os números", acredita o deputado Raul Jungmann (PPS-PE). Já Gabeira não acredita em uma nova safra de assinaturas . Segundo ele, deputados de oposição "amarelaram" e não devem assinar o novo requerimento.