Brasília – O deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA) afirmou há pouco que a oposição tem maioria para ganhar a votação e aprovar o relatório do deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), "nem que seja por um voto". Em pronunciamento na CPI dos Correios, ele afirmou que a oposição está trabalhando para tentar construir um acordo que gere um "apoiamento majoritário" ao relatório de Serraglio. Mas disse que, se isso não ocorrer, o relatório original será aprovado.

Para ACM Neto o voto em separado (relatório paralelo) apresentado ontem pelo PT é uma "peça de ficção" e que, se for aprovado, não deveria ser encaminhado ao Ministério Público, mas a um cineasta. O deputado disse ainda que o relatório do PT elimina 49 pedidos de indiciamentos relativos a fundos de pensão "Essa é uma atitude de quem quer encobrir bandido", afirmou.

ACM Neto acusou ainda o PT de ter feito um acordo com o ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, pré-candidato à Presidência da República pelo PMDB, para retirar o fundo de pensão Prece, ligado à empresa estadual Sedae, do relatório final.

Após o pronunciamento na CPI, questionado se seu discurso era típico de quem não acreditava em acordo, ACM Neto respondeu: "em parte sim".