A delegação brasileira na 8ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP8) é composta por 160 pessoas, mas apenas 11 delas – os diplomatas – participarão diretamente das negociações. A reunião começa hoje (20) e vai até o próximo dia 31. "São os diplomatas que apresentam a posição do país às outras nações", explicou a diplomata brasileira Adriana Tescari.

Os diplomatas também serão responsáveis por traçar a estratégia de negociação do país – eles devem avaliar em que pontos vale a pena ceder e em quais é preciso ser inflexível. Na COP, as decisões só são tomadas por consenso.

Tescari explicou que há ainda duas outras categorias de delegados: os chamados assessores de delegação, que representam órgãos governamentais, e os delegados-observadores, que representam setores não-governamentais. Na delegação brasileira, há 76 delegados-assessores e 73 delegados-observadores.

"Os assessores e observadores subsidiam a tomada de decisão do país. Geralmente os negociadores dão a palavra ao assessor, quando ele é especialista em um determinado assunto", contou a diplomata. "Os delegados-observadores participam das reuniões de delegação e têm acesso a grupos de contato ou dos amigos do presidente [instâncias criadas durante a conferência para discussão mais aprofundada de pontos polêmicos]. Essa é a principal diferença deles de um observador não-delegado", explicou.

"Os nossos delegados-observadores são representantes do setor empresarial, acadêmico, ambientalista e de comunidades indígenas e quilombolas", afirmou Tescari. "O Ministério das Relações Exteriores (MRE) convidou várias instituições governamentais e não-governamentais para participar da delegação. Além disso, todas as organizações que demonstraram interesse também foram inscritas".

A diplomata explicou ainda que cada país podia inscrever na conferência quantos delegados quisesse. "Não há limite de quantidade, desde que a inscrição seja feita dentro do prazo", ressaltou. "Aproximadamente seis mil pessoas de 188 países (incluindo aí a Comunidade Européia, que também é signatária da Convenção sobre Diversidade Biológica) devem participar da COP-8, entre delegados e observadores".