A ampliação do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) voltou a ser defendida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quinta-feira. No final do discurso feito no plenário da Assembléia Geral das Nações Unidas, Lula disse que é urgente fazer mudanças na estrutura do conselho. Sem a reforma, afirmou Lula, "a ONU não cumprirá o papel histórico que lhe está destinado".

"Não posso deixar de sublinhar um ponto que levantei na reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre a necessidade de urgente reforma daquele órgão, a fim de torná-lo mais legítimo, mais representativo", afirmou o presidente.

O Conselho de Segurança é o órgão da Organização das Nações Unidas que discute e decide sobre assuntos relacionados aos conflitos armados e à segurança do mundo. Hoje, apenas cinco membros permanentes têm direito a veto e voto no conselho: China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia.