A relação entre o consumo de drogas, criminalidade e violência urbana é o tema central do relatório anual da Junta Internacional de Controle de Narcóticos (Jife), órgão das Nações Unidas, apresentado nesta quarta-feira. O relatório pede que os governos prestem mais atenção aos efeitos do abuso de drogas nas comunidades e cita o Brasil como ?exemplo da magnitude da criminalidade relacionada às drogas?.

Foi elogiada no relatório a iniciativa do sistema legislativo brasileiro de se concentrar no combate aos traficantes de drogas e adotar penas alternativas para os usuários. A medida é uma referência ao Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas (Sisnad), aprovado na Câmara dos Deputados em fevereiro, que estabelece o fim da prisão ou detenção do usuário. Mas os serviços de tratamento e reabilitação proporcionados de forma gratuita pelo governo foram considerados limitados, uma vez que excluem o acesso de pessoas com baixa renda.

O órgão conclama que os governos combatam com eficiência a violência relacionada às drogas e que adotem políticas de prevenção ao abuso combinadas com medidas sociais, econômicas e de repressão.

Para o Jife, os governos e as comunidades devem reconhecer a gravidade do problema e estabelecer programas eficazes de redução da demanda de drogas. A Junta observa também que os programas devem ser sustentáveis a longo prazo para que produzam os resultados desejados.